Conhecendo o Brasil: Boa Vista - Roraima

sábado, outubro 03, 2015


Hoje vamos exercer a principal finalidade da internet, pois, embora ela esteja repleta de vídeos de gatinhos e bebês, ela também serve para apresentar e aproximar lugares e pessoas distantes. Decidi começar apresentando a vocês um lugar que conheço bem: Boa Vista, capital do estado de Roraima, onde moro há três anos.  Trata-se de um destino pouco conhecido no Brasil, pela distância e pelo tamanho, mas é um lugar com peculiaridades incríveis. 
Boa Vista tem, em média, 340 mil habitantes, é uma cidade planejada em formato de leque, com ruas largas e limpas de um modo que pouco se vê nas capitais do norte do país. É um lugar relativamente seguro, onde você ainda pode se permitir determinados luxos, como casas sem cerca elétrica, andar nas ruas falando ao celular, largar a bolsa no carro e até, vez ou outra, esquecer a porta de casa destrancada – já aconteceu comigo umas três vezes. Não estou dizendo que o crime não chegou até aqui, mas que ele é menos recorrente (exceto quando se trata de violência sexual, crime no qual Roraima é campeã nacional, mas esta é uma questão cultural e tem mais relação com o modo como a nossa sociedade é organizada, do que com o lugar).  


Existem muitas informações interessantes, mas a demografia eu deixo para o Wikipédia, e aqui vou focar nos lugares para visitar, quando se vem à Roraima. Um passeio muito comum é ir até a Venezuela ou até a Guiana para conhecer ou fazer compras, por conta da proximidade e do baixo custo, mas vou me ater a lugares dentro do Brasil:

Monte Roraima



Depois da novela Império, muito se comentou sobre o Monte Roraima e as imagens são realmente de tirar o fôlego! Mas a verdade é que fôlego mesmo é preciso para chegar até lá: a trilha demora cerca de três dias para se chegar ao topo, exigindo preparo físico, dormindo pelo caminho e carregando o peso de suas próprias malas. A viagem também exige investimento financeiro, pois mesmo quem decide fazer a trilha precisa desembolsar entre 1000 e 1500 reais, sendo que ir de helicóptero, tal como o comendador, pode custar cerca de cinco vezes esse valor. As agências de turismo, no entanto, lhe levam até o local de início da trilha, disponibilizam guias e também é possível pagar à um morador local para acompanhar e ajudar a carregar as bolsas de viagem. 
Mas a verdade é que quem já foi, afirma que é recompensador. O Monte é exótico, lindo, místico e acredita-se que tenha se formado há mais de 2 milhões de anos, quando a área ainda era recoberta por um oceano. Ele se encontra na linha divisória entre o Brasil, a Guiana e a Venezuela e é só lá que é possível estar em três lugares ao mesmo tempo. 




Serra do Tepequém


A serra do Tepequém é um destino comum no fim de semana dos boavistenses. Está localizada a 210 km da capital e é uma rápida viagem de carro, na estrada asfaltada e angulosa. Pouco antes das cachoeiras, há uma pequena vila com pousadas com quartos e áreas de camping, além de restaurantes. Mas é preciso encomendar a comida logo cedo, pois chegando para o almoço sem aviso, eles não servem. 
Partindo da vila existem entradas para sete cachoeiras, além de uma trilha em direção ao Platô, que é uma serra com cachoeiras pelo caminho, e uma vila onde, em outros tempos, havia garimpo de pedras preciosas. As cachoeiras exigem certo esforço e cuidado, pois são escorregadias e a vista mais bela de um abismo, fica ao fim de uma longa descida. 
Trata-se de uma viagem de baixo custo, pois a alimentação e hospedagem podem custar bem barato e é possível fazê-la tranquilamente sem um guia. 



Serra Grande



A Serra Grande fica a cerca de 60 km da capital e é um lugar lindo para camping, com pontos altos e cachoeiras. Exige preparo físico pois a subida dura, em média cinco horas, mas há um pequeno sítio ao é da serra que serve de apoio aos visitantes, com guias e alimentação. 




Praias ou Banhos


Boa Vista é uma cidade quente. Logo acima da linha do equador, nos fins de semana o calor insuportável faz com que se procurem opções de lagos, sítios ou "banhos", como se diz por aqui. Para nossa sorte, são muitos: Praia Grande, Água Boa, Au Au, Praia do Caçari, Praia do Caumé, além dos lugares privados, com piscinas e restaurantes nos arredores da cidade. Existem uns mais movimentados, outros menos. Alguns com árvores e águas claras, outros em campo aberto e de águas escuras. Tem para todos os gostos. 



Claro que existem outros passeios possíveis. Casas noturnas, praças locais, bosques, parques, cidades no interior e uma gama de restaurantes e bares com música e comidas locais. Mas o post já ficou muito grande. Espero que eu tenha tornado possível sentir um pouquinho de como é este lugar e das belezas naturais encantadoras que existem aqui, porque bares e shoppings existem em todos os lugares, mas águas limpas e o silêncio de lugares mais antigos que nós mesmos, isso sim é difícil de encontrar. 

Você Pode Gostar Também

3 comentários

  1. Quanto lugar lindo! Realmente, o Brasil é repleto de destinos maravilhosos. Só de olhar as fotos já senti paz e tranquilidade, imagine pessoalmente.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Onde clica para me teletransportar para lá? Amei amei, lugar incrível!
    Beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.