Meu anjo da guarda

segunda-feira, novembro 07, 2016



Sempre fui daquele tipo de pessoa que mal sabe cuidar de si, quem dirá cuidar de outro ser vivo. Até hoje não sei o que seria de mim se não fosse minha mãe me lembrando dos horários de tomar o remédio, de me acordar cedo, me ajudar a me organizar para não enlouquecer com as inúmeras tarefas que surgem quando vamos chegando mais perto da vida adulta.

Não entendia como ela consegui se virar nos 30 cuidando de si, da nossa família, de mim, do seu emprego e de quem mais precisa-se de um pouquinho de atenção e amor. Deve ser algum super poder de mãe, mas acredito que eu nunca vá entender. Nunca fui o tipo de criança que pedia aos pais um animalzinho de estimação, nem menos um que fosse virtual. Sempre fui muito prática e fugia de tudo aquilo que exigisse um compromisso a longo prazo, mas tudo mudou em uma manhã de domingo chuvosa.

Acordei inquieta me sentindo sufocada, precisava de ar puro. Quando abri a porta escutei um barulho como se fosse um choro de criança, um pedido de ajuda de alguém quase desistindo. Sai em meio a chuva em busca da origem do som e não muito longe dali encontro você dentro de uma caixa de sapato com alguns jornais em volta, todo encharcado pela chuva. Meu primeiro pensamento é de revolta. Como alguém pode abandonar um ser tão pequenininho e indefeso sozinho? Que tipo de ser humano faz isso? O pior tipo com toda certeza. Não pensei duas vezes te peguei em minhas mãos e te levei para casa. Lembrei-me na hora de um amigo que cursava veterinária e com você enrolado em uma toalha peguei o carro e sai em meio a chuva de uma manhã de domingo em busca de ajuda.

Eu ter te encontrado e você ter sobrevivido foi um milagre. Acho que era disso que eu precisava na minha vida, um sentido, um propósito. A cada novo dia ao seu lado eu entendia mais como era incrível a sensação de cuidar de um outro ser sem pedir nada em troca, tendo como recompensa apenas ver o outro bem. Tendo você em minha vida aprendi mais sobre responsabilidade, sobre crescer e assumir riscos e comecei a entender como minha mãe adquiriu o poder de se virar nos 30.  Agradeço a Deus todos os dias me por tirar o sono aquele dia e não me presentear com apenas um  animalzinho de estimação, mas sim como um amigo, meu anjo da guarda. Deus trabalha de maneiras misteriosas, mas sempre são para o nosso bem e você é a prova disso!


Este texto faz parte do desafio do grupo Café com Blog onde a proposta era criar uma postagem com base na imagem que ilustra o início deste post.


Você Pode Gostar Também

4 comentários

  1. Amei *-* ficou muito legal Parabéns! \o/

    ResponderExcluir
  2. Ai que lindo seu texto ficou!
    Sou louca para ter um e poder cuidar dele!

    www.universopraticofeminino.com

    ResponderExcluir
  3. O texto ficou lindo! Até um tempo atrás também não entendia como a minha mãe conseguia "se virar nos 30". Mas conforme a situação exige, a gente aprende a ser virar, não é? Eu já tive animais de estimação, e não tem sensação melhor do que cuidar desses bichinhos que mesmo sem dizer uma palavra nos fazem um bem danado.


    Beijos

    https://itiskimby.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  4. Seu texto ficou muito fofo! Combinou muito com a imagem e descreveu muito bem o carinho e todo amor que desenvolvemos pelos bichinhos! <3
    xoxo

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.