Uma pitada de amor

segunda-feira, março 27, 2017


Helena nunca acreditou que tinha talento para fazer alguma coisa ou ser alguém. E assim ela foi crescendo sem grandes expectativas para o futuro. Uns diziam que ela poderia ser uma boa professora, afinal sempre há vagas no mercado, ou quem sabe um médica, as pessoas sempre ficam doentes e nunca há médicos suficientes. Talvez ela pudesse ser uma arquiteta no final das contas, ela sempre teve um jeito criativo de ver a vida.  

Apesar de o que as outras pessoas achavam que ela poderia fazer pelo resto da vida ela não se sentia confiante em nenhuma das opções. Não que ela menosprezasse tais profissões é só que elas não faziam seu coração bater mais forte, não traziam aquela sensação boa de fazer o que se ama, ainda que ela não soubesse o que faria seu coração bater.  

Quando as dúvidas ficavam maiores que as certezas Helena cozinhava. Aprendeu ainda menina os segredos da cozinha com Dona Izabel, sua avó. Ainda pequena ela aprendeu a mágica de misturar ingredientes diversos e transformar em incríveis pratos capazes de trazer um sorriso no rosto ao coração mais amargo. 

Helena adorava a sensação de paz que ela alcançavam enquanto se via em meio a receitas, temperos, cheiros e sabores. Esse era o único momento em sua vida que ela tinha certezas, e quando não tinha, ela não se prendia ao medo de arriscar. Uma mistura de sutileza e ousadia e se alcançava o resultado perfeito. Para ela não existia coisa mais gratificante no mundo que ver os olhos brilharem de satisfação e o sorriso de felicidade que se formava nos lábios daqueles que provavam seus pratos. 

Na época ela não sabia que cozinhar era seu maior talento, que ela podia mudar vidas e contar histórias através de suas receitas. Até o dia em que conheceu Carlos. Ele era filho de uma renomada chef de cozinha que acabará de mudar para a cidade afim de abrir uma nova franquia de seu restaurante. É engraçado a maneira que a vida acontece pensou Helena ela que não tinha talento nenhum e nem sabia o que fazer no futuro, ao conhecer um belo rapaz, descobre que aquilo que ela mais amava fazer era seu maior presente, o que lhe fazia especial e o melhor de tudo poderia ser seu futuro, sua profissão. Ela poderia se imaginar passar o resto da vida assim entre receitas, essências e temperos e ver ao final de cada prato a sutileza no olhar de gratidão das pessoas por terem a oportunidade de experimenta algo tão perfeito. Esse seria seu futuro compartilhar com o mundo um pouco de amor através dos de seus dotes culinários e homenagear sua vó por ter lhe ter apresentado esse universo mágico e confidenciado seu segredos. 





Você Pode Gostar Também

22 comentários

  1. Olha acho que sou parecida com Helena, pois eu amo cozinhar e por mim faria sempre. Apesar disso aqui em casa meu pai é o chefe e não cozinho muito porque ele tá sempre lá pilotando o fogão, rs. Beijos, amei o texto!

    ResponderExcluir
  2. ola, a historia parece ser boa, logo nas primeiras linha do texto fiquei imaginando essa personagem, adoro historias assim!!! sucesso beijos

    http://adeillypessoa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá. A história da Helena é muito interessante. Seu texto é muito bom. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Adorei :D eu tbm adoro cozinhar,mas não tenho tanto talento assim rs,é tão bom quando a gente se descobre não é mesmo?!Aí você vê que não se imagina fazendo outra coisa e aquilo é tudo o que você precisa para ser feliz.
    Perfeito <3
    Beijos ^.^
    littlewonderscrm.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu queria ter esse dom de mudar a vida das pessoas através dos meus dotes culinários! Aos poucos estou melhorando, mas ainda sou um desastre. Amei conhecer mais sobre a ele. Vou passar meu endereço pra ela ir cozinhar pra mim! ahahaha Beijo ♥

    ResponderExcluir
  6. Que história bacana, conheço gente que é como a Helena do início da história, não conhece o seu dom, não sabe o que veio fazer no mundo, mas no caso acaba se contentando com um emprego que não gosta

    ResponderExcluir
  7. Você escreve muito bem ♥ Foi um desafio bacana pra vc ? Gostou de participar ?

    ResponderExcluir
  8. Nada como fazer aquilo que a gente gosta, né?
    Isso nos faz sentir realizada e fazer as coisas com prazer!
    Adorei o texto!

    bjO

    Dany
    Blog Breshopping da Dany
    Conheça também o Breshopping da Dany KIDS

    ResponderExcluir
  9. O texto é bem legal <3 que bom que Helena se encontrou <3 também amo cozinhar, é muito bom ver o prazer das pessoas apreciando um prato feito por mim *-* Beijocas! ♥

    Sorriso Jovem | SJ Oficial Fanpage

    ResponderExcluir
  10. Adorei a historia de Helena. Ela gosta de cozinhar e eu também 😍😍 Amei 💜

    ResponderExcluir
  11. As vezes as coisas estão mais na nossa frente do que podemos imaginar ♥
    Super inspirador o texto! Adorei :)

    ResponderExcluir
  12. Oie, tudo bem? Gostei muito do texto. É curtinho, é leve, e passa uma mensagem incrível. Acredito que todas as pessoas deveriam encontrar aqui no qual sentem amor e tentar fazer aquilo todos os dias, tanto para fazê-las felizes como aqueles que estão ao seu redor. Beijos, Érika ^.^

    ResponderExcluir
  13. Que crônica mais lindinha *-*

    Me encontrei um pouquinho nas inseguranças da Helena, embora eu ainda não saiba muito bem o que quero fazer da vida o.O só sei que não quero cozinhas, porque sou péssima!

    É bom ler textos assim, pois são inspiradores <3 todos deveriam fazer aquilo que amam!

    ResponderExcluir
  14. Adorei o texto! Muitas pessoas são como a Helena, tem talento mas dificilmente a enxerga e acredita nisso e aos poucos vão se encontrando. Outras já sabem o que querem.
    Mas todos tem seus devidos talentos e o maior prazer da vida é encontrar naquilo que bate mais forte e te faz sorrir!

    Universo Prático Feminino

    ResponderExcluir
  15. Ai que história linda!! Eu me identifiquei muito com seu texto, mas nao exatamente com a culinária, porém é somente isso que precisaria substituir.
    Voce escreve muito bem, táincrível!
    Bjss

    ResponderExcluir
  16. Que texto mais lindo e inspirador! Me fez refletir um monte, sobre como achamos que não somos bons em nada, mas na verdade só não descobrimos isso ainda, porque as vezes os talentos que temos são tão naturais para nós que nem percebemos. E às vezes, só precisamos do empurrãozinho de alguém, essas pessoas-anjos que aparecem na nossa vida, que nos fazem enxergar o que há de melhor em nós.
    Beijoos

    ResponderExcluir
  17. Oh você também tem uma Helena, não e só Manoel Carlos.rsrs Eu também tenho uma mas ainda não terminei de escrever.
    Lindo! A culinária praticada com amor tem um sabor especial, certamente Helena faz com amor e você nos envolveu completamente.Fora outras questões que eu fica só imaginando aqui ao ler.
    bjs
    Simplesmente Ciana

    ResponderExcluir
  18. Queria ser Helena. Já tenho meu Carlos, mas não tenho muitos dotes na cozinha. Na verdade, na minha vida os papeis se inverteram, meu Carlos é a Helena. Os dotes na cozinha ficaram pra ele. rs

    ResponderExcluir
  19. as vezes nossa profissão esta onde menos procuramos.

    passei minha infancia toda e adolescencia querendo ser veterinaria... me descobri na moda hauhauahua
    dois opostos completos!!!

    beijos

    ResponderExcluir
  20. Que história mais fofa!!! <3 A escolha da profissão é sempre uma busca pela realização, e é incrível quando alguém consegue fazer com que a vida flua de um jeito tão legal como a da personagem, que, mesmo com as ideias das outras pessoas, conseguiu encontrar seu próprio caminho. <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  21. Por vezes temos talentos desconhecidos que desvalorizamos ou nem damos por eles. Mas é importante seguirmos os nossos sonhos. Sempre ouvi dizer "faça o que gosta e nunca terá de trabalhar um dia"! <3

    Beijinho,
    Ju, Cor Sem Fim

    ResponderExcluir
  22. Queria ter um pouquinho de Helena na minha vida. Minha vó foi exímia cozinheira e passou todo seu conhecimento para minha mãe, que mesmo tentando me levar pelo mesmo caminho da boa culinária, eu acabei nunca demonstrando o dom. Ficou por isso. Mal um miojo, mal um macarrão, até um café não sai lá essas coisas. Acho que é porque eu mesma não me interesso, não gosto, não amo. Cozinha, muito além de uma combinação exata de ingredientes e temperos, envolve muito amor. É do amor que brota a felicidade de quem prova a comida. E é lindo isso.

    Com carinho,
    Conto Paulistano.

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.