Guerra e Paz

domingo, maio 14, 2017


Não sei dizer quando foi que as coisas ficaram complicadas entre a gente, talvez seja culpa dos hormônios da adolescência, ou talvez seja apenas esse meu temperamento difícil. Mas lembro de um tempo onde as coisas eram mais simples e no no lugar de gritos o que existia eram risadas, daquelas que fazem a barrida doer e os olhos ficarem marejados.

Às vezes eu me pergunto se você se arrependeu, afinal o motivo das suas noites insones, das sua crises de enxaqueca e os meses de aperto onde quase  sempre estamos no vermelho, sou eu.  Sabe eu no seu lugar provavelmente estaria arrependida, afinal o que nós temos não é vida, está mais para uma penitencia. 


Sabe não vejo a hora de poder sair de casa e ter meu próprio espaço. A convivência está cada vez mais difícil, será que é tão difícil de entender me aceitar como eu sou? Sinceramente não sei como você se aguenta, você é cruel.  E eu ODEIO a minha vida. 

Meu Deus como eu pude estar tão errada, como eu pude ser tão ingenua, egoísta e cruel? Como não pude reconhecer todo aquele o amor que ela tinha por mim, não isso não era culpa dos hormônios, talvez um pouco do meu temperamento. Dizem que a gente só entende a mãe da gente quando a gente vira mãe, pode parecer clichê, mas não é que é verdade. Hoje vejo que a cada dia que passa eu me pareço mais com você e minha filha comigo, mas a diferença é que eu não sou você eu não sei como me manter firme nos momentos de dificuldade.


Mãe eu sei que eu não fui a melhor filha, talvez eu não tenha correspondido as tuas expectativas, mas a senhora foi e é incrível, hoje eu entendo que tudo o que você fez e faz sempre foi para o meu bem, visando que eu tivesse o melhor. Me perdoe por não ter compreendido isso antes, mas como você mesma diz nunca é tarde demais para se reconhecer um erro e recomeçar. Estou aqui agora querendo recomentar, ter de volta aquele tempo onde as coisas eram simples e a gente dava risadas, daquelas que fazem a barrida doer e os olhos ficarem marejados.

Você Pode Gostar Também

6 comentários

  1. Muitas vezes não entendemos as decisões que elas tomam, não aceitamos suas opiniões, e até chegamos a pensa que não nos amam por não fazerem todas as nossas vontades, mas um hora percebemos que amor que que elas sentem por nós é infinitamente maior do o que nós sentimos por elas, e olha que nós a amamos muito.
    Texto muito bom!

    De Passagem...

    ResponderExcluir
  2. Uma amiga minha que virou mãe recentemente disse que hoje em dia ela sabe exatamente o pq de a mãe dela pegar tanto no pé, de brigar, se entrometer na vida dela, etc. Ela disse "-hj sou mãe e sei exatamente o que ela sente."
    Enfim, talvez o que falta é ser mãe para entender pq as atitudes q elas tomam muitas vezes não nos agradam.

    ResponderExcluir
  3. As vezes não compreendemos o que a nossa mãe faz, achamos que ela está exagerando. Mas a verdade é que a nossa mãe só quer o nosso bem, vai chegar um momento que vamos compreender a atitude dela. Quando formos mães vamos entender o que é ser mãe, belíssimo texto é uma reflexão para nós, bjs.

    ResponderExcluir
  4. Eu tento sempre entender tudo o que minha mae fez e faz por mim. Talvez só possamos entender quando nos tornarmos mães mesmo, porém tento de toda foram compreender. Bom texto :*

    www.livrosenerdicesblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. É difícil para os dois lados - a filha e a mãe - entender o que a outra está passando. Acho que a única forma de realmente lidar com isso seria por meio de diálogos sinceros, de coração e mente abertos. Pode ter certeza que nunca é tarde para recomeçar!
    Literalize-se

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.