5 Motivos para ler Fangirlish

by - segunda-feira, maio 28, 2018


Diana Rose Palmer, ou Mia, como gosta de ser chamada é uma adolescente que está prestes a se formar no ensino médio e entrar na faculdade e que adora muitas coisas, entre elas está a música pop. Mia mora em uma badalada cidade onde as maiores celebridades também moram (tipo uma Hollywod brasileira), o que significa que não é tão difícil para Mia conseguir e vender os maiores furos jornalísticos, porque, embora ela seja fã de carteirinha de muitas coisas, seu verdadeiro amor é o dinheiro. Com a ajuda de um amigo Mia consegue a oportunidade de gravar cada passo de Chad Gallagher, seu cantor preferido, como um trabalho para entrar na faculdade. É em meio a isso que Mia percebe que Chad não é o garoto perfeito que se mostra ser na frente de todos e que ele tem muitos segredos.

“Fangirlish é um livro jovem, envolvente e engraçado que revela o pior e o melhor de nós mesmos através de uma narrativa leve e irônica.”

Fangirlish | Autora: Tamara Soares | Editora: Duplo Sentido Editorial | 268 páginas

Motivo 1. É nacional

A literatura nacional ainda está engatinhando e é triste ver como ainda tem muito brasileiro que diz não gostar do que é produzido por aqui por motivos bem bobos. Existem livros nacionais bem ruizinhos sim, assim como tem muito livro americano que é terrível. Primeiro que é tudo uma questão de opinião e segundo que tem conteúdo bom e ruim em todos os países. Não vamos tacar pedras naquele livro só porque ele é nacional, tá bom? Então tá bom.

Enfim, esse motivo de ler um livro nacional já engloba vários outros motivos, primeiro que ao ler livros nacionais a gente também dá aquela forcinha para os autores que dividem o mesmo país que a gente, é muito mais fácil conseguir bater um papo com esses autores e conseguir um autografo deles e dá para se identificar muito mais com o protagonista por questões culturais e modo de falar.

2. Cultura pop e muitas, muitas referências...

Se tem uma coisa que eu adoro nos livros nacionais é entender as referências, tudo bem que o Brasil está muito envolvido com a cultura americana mas é legal ver tal cidade ser citada e saber onde ela fica, tipo Varginha e os aliens sendo citados. E claro, nossa protagonista é uma adolescente do século 21 que tem internet então tem muita cultura pop no livro, principalmente relacionada a música.

    “Eu queria fazer a Lana Del Rey e morrer.”

3. A Mia

Mia é uma personagem extremamente interessante. Ela tem defeitos e qualidades, em alguns momentos eu tinha vontade de dar uns tapas na cara dela e em outros queria abraça-la e dizer que ia ficar tudo bem. É legal ver como a autora conseguiu criar uma personagem tão real. Mia é uma garota metida a engraçada, meio narcisista, que não tem medo de falar o que quiser e que adora celebridades e dinheiro. Essa é a primeira impressão que tive dela e ao longo do livro a Tamara foi me apresentando melhor a personagem, percebi que ela não é só uma garota com pouca vergonha na cara e que ama dinheiro, Mia se importa muito com as pessoas ao seu redor, tem ressentimentos por pessoas próximas, tem medo do futuro e inseguranças. E apesar de tudo, o que eu mais gostei em Fangirlish foi ver o crescimento de sua protagonista.

     “A única diferença entre eu e Narciso era o fato de que eu era esperta demais para morrer afogada por cair em um lago enquanto observava a minha própria beleza.”
4. É engraçado, leve, mas não deixa de ser importante

Esse é um livro leve, divertido, gostoso de ser lido e ainda assim ele não deixa de abordar assuntos importantes o que me surpreendeu, quando eu peguei ele para ler esperava uma história extremamente engraçada e um tanto bobinha que iria fazer meu tempo passar mais rápido mas na verdade Fangirlish é sobre amadurecimento. É sobre aprender a gostar da nossa própria companhia e lidar com o fato de que nem sempre as coisas irão ser como queremos.

     “[...] e assim aprender a depender da única pessoa que jamais me abandonaria: eu mesma.”

5. As frases de efeito

Para mim livro bom é aquele que tem frases que me fazem parar a leitura e soltar um “É isso mesmo!”. Apesar da pouca idade a Tamara (ela nasceu no mesmo ano eu e eu me acho bem jovem...) toca em assuntos bem pertinentes principalmente nos dias atuais e faz a nossa protagonista, Mia, falar umas boas verdades.

    “— Deixa eu te perguntar uma coisa — ele disse de repente, me entregando uma garrafa d’água de Fiji. — Lady Di é sobre você, não é?
    — A culpa não é minha — me defendi, trocando o cartão de memória da câmera. — Eu não sabia que eu estava namorando o Sam Smith — respondi com desdém.
    — Eu achei que você diria Taylor Swift — provocou, sorrindo para minha câmera.
    — Ah, nem vem — retruquei séria. — Sam escreve sobre os namorados tanto quanto a Taylor e ninguém fala nada.”

    “E como assim “bi de verdade”? Quando você tá solteira você vira hétero também, Desnaturada? Só porque eu estou apaixonada por dois caras isso não diminui minha bissexualidade, né? Não é assim que funciona.
    Olívia se engasgou com a bebida, surpresa pela minha alfinetada. Isso que dava tentar fazer piada bifóbica comigo em meio à ressaca em que eu me encontrava.”

Gostou da dica de leitura? Não deixe de conferir o blog da Rubyane Santos, Epílogo em branco para mais dicas assim! 

Você pode gostar

1 comentários

  1. AAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHH! *O*
    Eu li em um blog que não devemos ler a resenha de um livro sem ter lido o livro antes, mas eu nem ligo quando vi que você tinha lido Fangirlish (que é um livro que quero muito em minha estante, por isso ainda não o li no Wattpad - e nem sei se ainda está disponível), eu conheci a autora Tamara por conta de uma outra história dela que acompanho na palataforma Wattpad, mas a história anda muito parada. A escrita dela é leve e envolvente. Sinceramente amei!xD

    https://j-informal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.