Rascunhar Estrelas

sexta-feira, junho 28, 2013

galaxy by sarah ayu aulia rahma | Flickr - Photo Sharing!

Quando observo os poetas sofrendo e dilacerando suas almas em nome de um sentimento, me vem uma vontade de ser mais, de ser uma flor efêmera que se desfaz diante de um único suspiro seu. O meu impulso é estraçalhar meu coração para sangrar em versos e inundar minha realidade de poesia. Mas sou mercadoria vendida,tenho um pacto com a rotina. Espero uma recompensa pelo meu bom comportamento, mas ela nunca chega. Bom mesmo é ser livre ou ainda possuir a inocência perecível de que se é. Mas o meu amor não vale nada, porque não me permito sentir, finjo-me de morta para sobreviver à mesmice. Finjo-me de morta enquanto meu sangue ferve e minha boca deseja rascunhar estrelas no seu corpo.


- Isabela Ribeiro 

Você Pode Gostar Também

2 comentários

  1. Texto lindo , transpareceu muito sentimento *-*

    ResponderExcluir
  2. Adorei seu texto, confesso que me identifiquei com alguns trechos. Não me lembro de ter lido algo assim no seu blog, você deveria escrever mais.

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.