Vozes

segunda-feira, junho 17, 2013


Você me deixou sozinha hoje. Avisou que estava com os amigos, perguntou se tinha algum problema. Tudo bem. Aproveitei o tempo pra cuidar de mim, livros que andavam esquecidos, atenção ao cabelo, trabalhos atrasados, protestos na TV e nada de você. Mas eu disse que estava tudo bem. Não estava?
Minha vizinha me viu passar pela porta, aproveitou minha falta de companhia e quis falar da vida. Eu só ouvi. Ela estava muito triste e disse algumas coisas sobre como às vezes a gente entra na relação e é capaz de jurar que o outro entrou também. É complicado isso de ser só um ser humano e não ser capaz de saber o que as pessoas pensam sem que elas digam e, mesmo que elas digam, ainda é encargo nosso decidir se acreditamos. 
Não que eu não acredite em você. Meu problema é outro. Tenho medo de acreditar demais.
Você não me dá motivos pra desconfiar. Está aqui na maior parte do tempo e não faz menção de ir embora, mas eu ainda não me sinto segura. Talvez aí se encontre a raiz do meu ciúme (que escondo com eficácia). Eu ando na corda bamba, me equilibrando mal e porcamente com batons vermelhos e brigas evitadas. É o monstrinho do medo me pedindo pra segurar a onda e a intensidade pra não te assustar. Aquela vozinha que diz, “não faz isso, garota, que ele sai correndo e não te volta mais”.
E é assim que, todas as vezes que uma pequena parcela de mim (ainda assim grande demais) se mostra, eu tremo e espero em silêncio que você vá embora. Como hoje de manhã, no carro, depois que a noite foi morna e você ficou calado. E é por isso que eu não posso gostar tanto assim de você, porque quando você se for, não vai haver mais silêncio, nem tempo saudável pra mim, nem conversas amigáveis com ninguém. Só me restarão as vozes, acusadoras e indisciplinadas, repetindo “sabia que não ia durar”.


 twitter: @alexiacristal

Você Pode Gostar Também

5 comentários

  1. Horrível quando se tem certeza do improvável.
    Estar assim, e silenciar-se para si mesmo. Tomar uma atitude mesmo com medo, é arriscar. Arrisca!

    ResponderExcluir
  2. Viver com medo de perder algo/alguém é ainda pior do que realmente perder.

    Beijinhos

    www.burguesinhas.com.br

    ResponderExcluir
  3. Li esse texto ouvindo http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=I8tEcMjV_zE e super me identifiquei com o que você escreveu por algo que estou passando. Um silêncio sabe, aquele medo do que parece querer ficar ir embora sem mais nem menos. Apenas ir.

    ResponderExcluir
  4. Eu já vivi assim.. Já tive esse medo e essa certeza de que não ia durar. Não é fácil!

    Participa da Unha da Leitora lá no blog, tô louca pra ver as unhas de vocês. Não precisa ser nenhuma nail art complicada, eu quero ver o que vocês gostam de fazer nas unhas.
    Blog | Facebook

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, meninas. Vocês me confortam. Acho lindo quando vocês se identificam. *-*

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.