Literalmente Amigas

by - quinta-feira, setembro 13, 2018


Quando Gabi e Lívia, duas apaixonadas por livros, se conheceram em uma comunidade sobre literatura em uma extinta rede social, não imaginavam que se tornariam melhores amigas e que criaram um blog de resenhas literárias, o Literalmente Amigas. Desde então, elas são inseparáveis, apesar das personalidades muito diferentes! Gabi é um pouco avoada, desorganizada financeiramente, de riso fácil e vive uma história de conto de fadas com o namorado de longa data. Já Lívia é assertiva, firme e possui planos bem delineados para seu futuro, embora ainda não tenha encontrado o emprego dos sonhos nem um romance arrebatador como o de seus livros favoritos. Juntas, elas enfrentam as dificuldades da juventude, seja na profissão, seja no amor, até tudo começar a mudar quando ambas são selecionadas para a mesma vaga — para a qual as duas se inscrevem, sem contar uma para outra — na principal editora do país. Será que a paixão pelos livros, que antes unia as amigas, agora se tornará o motivo do término da amizade?
📖Skoob 👍Avaliação Final:      

Benditas sejam as amizades que começam na internet e por causa de livros!

Literalmente Amigas foi escrito a quatro mãos, pelas autoras mineiras Marina Carvalho e Laura Conrado. Meu primeiro contato com a Marina foi com o livro Simplesmente Ana, já com a Laura foi através de seu conto Uma por todas e todas por umaem Heroínas.  Conhecendo um pouco da escrita de cada uma foi uma feliz surpresa ver a maneira que as duas criaram uma história tão rica e que valoriza tanto nossa cultura. Já li alguns livro escritos  a quatro mãos como Will & Will - Um nome, um destino e À Primeira Vista, por exemplo, mas este é o primeiro que eu realmente pude sentir durante a leitura a sintonia entre os autores, neste caso em especial vemos que a amizade entre as autoras foi transmitida para história criada, e é notável a  sincronia na narrativa de ambas. 


Gabi e Lívia são mulheres com personalidades totalmente opostas, mas complementaresSe tornaram BFFs (Book Friend Forever), graças uma rede social já extinta (que aí se lembra do Orkut?), quando ainda estavam no Ensino Médio. Foi a paixão pelos livros que as levaram a um fórum que se debatia literatura e num certo dia, totalmente ao acaso através de incidente um tanto quanto polêmico as duas se encontram e ali nascia uma bonita amizade.  


Ir na direção do futuro, às vezes, demanda confrontar o que já passou. 
Lívia é movida pela razão, aos 25 anos concluiu o mestrado,  possui apartamento próprio, carro e possuí uma carreira estável em uma editora, porém ela acredita que ainda há muito a se trilhar para chegar a total realização profissional. Apesar de uma vida financeira estável e de ser uma profissional de sucesso Lívia é super insegura e não tem tido muito sucesso em sua vida amoroso (aquele velho clichê de que a mulher bem sucedida, não pode ser realizada também no amor). Já a Gabi é movida pela emoção e criativida, aos 25 anos tem duas graduações e está fazendo um mestrado em Artes, que ela insiste em prolongar por medo do que o futuro lhe reserva. Gabi ao contrário da amiga não tem uma vida profissional estável e está longe de de uma estabilidade financeira ou de ser uma profissional de sucesso, mas no campo sentimental ela tirou a sorte grande. Namorando a dois anos com Léo, eles são o exemplo de meta de relacionamento. Ainda que a vida dela não estava totalmente nos trilhos Gabi se sente feliz com sua bagunça. 

Talvez os livros suprimam a necessidade de fala porque eles têm o poder de sempre dizer algo por nós. 

Apesar das diferenças existente Lívia e Gabi se dão super bem, juntas se dividem entre as responsabilidades da vida adulta e a vida de blogueiras literárias (que faz parte desse universo sabe que não é nada fácil, e as autoras retratam bem essa realidade). Mas quando surge a oportunidade de trabalhar na maior Editora do país, que para ambas é considero o emprego dos sonhos, a amizade das duas é posta à prova.   




Literalmente Amigas é uma celebração a amizade, ao amor pelos livros e não desistir dos próprios sonhos.  Marina e Laura criaram uma história em que você consegue visualizar cada cena, ainda que inusitada, se identifica com os personagens (no meu caso na vida estou mais para Gabi e sua criatividade do que para a Lívia e sua praticidade), temos a oportunidade de conhecer um pouco mais de BH, da literatura clássica, sem deixar de lado a contemporânea, tem boas doses de música boa, tem futebol, enfim este livro nos presenteia com uma boa dose de cultura  daquelas que nos deixa com o coração aquecido e um sentimento de orgulho por ver um livro nacional que valorizam suas raízes e não deixa a desejar em nada.  


Você pode gostar

1 comentários

  1. Li o "Freud, me tira dessas!" da Laura Conrado e, desde então, sinto vontade de ler algo dela de novo. Acho que vou retomar por esse livro, porque a sua resenha me animou!

    Beijos,

    Algumas Observações

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.