Um estranho na rua

terça-feira, julho 21, 2015

Não me lembro ao certo o dia exato, nem o mês que te vi pela primeira vez, lembro apenas que era uma segunda-feira e o sol começava a surgir em um céu coberto por neblina. Até então eu nunca tinha parado para reparar nas pessoas ao meu redor, sempre vivi no piloto automático, até aquele dia, no momento que nossos olhos se cruzaram em meio a um ônibus lotado um novo mundo se abriu para mim. 

Dia após dia nós nos encontrávamos em meio a uma multidão de pessoas, mas nunca trocamos nenhuma palavra, nem sequer um bom dia. Porém apesar da ausência de palavras em nossos encontros marcados eu já sabia teus horários, tua cor favorita, o teu perfume, o livro que estava lendo, quando não estava em um bom dia ou quando não se aguentava de felicidade. Em pouco tempo você se tornou meu estranho conhecido era como se fossemos velhos amigos que foram afastados pela rotina corrida ou pelos obstáculos da vida.  

Os meses passaram e com o passar do tempo a vida foi mudando e os nossos caminhos não seguiram a mesma estação. Confesso que tem dias que eu me pego pensado em como anda a tua vida, será que você terminou aquele curso que eu sempre via você estudando? São tantas as perguntas e tão poucas as respostas. É estranho eu me pegar pensando nesse tipo de coisa, afinal você é apenas mais um estranho na rua com uma história para contar que eu por destino ou descuido parei para escultar mesmo sem termos trocando uma única palavra. 

*Esse texto faz parte do Projeto "Escrita Criativa", onde o tema do mês de Julho era "Um estranho na rua". Para conhecer o projeto, clique aqui

Você Pode Gostar Também

3 comentários

  1. Ah que lindo texto, eu confesso que esperava um final feliz, onde as palavras se encontrassem assim como os olhares, mas me encantou mesmo assim, parabéns pelo texto flor, beijos!!

    www.floreioss.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Gostei do seu texto, triste mas que deixa aquela sensação de algo real. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Isso sempre acontece comigo. Já me apaixonei trezentas mil vezes. É um amor tão sofrido...

    Beijos

    www.admiradordetulipas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.