Solar

sexta-feira, maio 15, 2015


Já era de manhã. Eu sabia disso pois conseguia enxergar a luta dos raios solares através das cortinas escuras do meu quarto. Não tenho muita certeza de qual dia da semana estamos e nem por quantas horas eu dormi. Pra falar a verdade faz algum tempo que já não tenho certeza de nada, minha memória anda uma bagunça, já não sei distinguir o que foi sonho do que realmente aconteceu.

Forço meu corpo a se mexer e tento levantar da cama, mas tudo que consegui foi me esparramar no chão levando comigo objetos que estavam no criado-mudo. Droga! Meu celular. Levantei-me rapidamente e o encontrei do outro lado do quarto intacto sobre meu tapete felpudo. A imagem da Branca de Neve segurando a maça que enfeitavam meu celular me olhava de uma acusadora como se dissesse: Você teve sorte querida, mas não espere por isso da próxima vez.

Próxima vez, sorte, querida, são palavras que não combinam em uma mesma frase, ainda mas quando se refere a mim. Engraçado parece que o universo estava tentando me mandar uma mensagem algo do tipo: Levante, lute! Cair faz parte. Nem tudo é questão de sorte e às vezes não haverá uma próxima vez, assim como ser querida pelos outros nem sempre é uma opção.  Haverão barreiras e alguma escuridão, mas não deixe que isso te impeça de brilhar.

Pego meu celular e coloco em cima da cama e me dirijo para o banheiro. Lavo meu rosto sem me olhar no espelho. Fico pensando em minha conversa com  o universo ou será que foi Deus?  Oh my God! A quanto tempo eu não vou a igreja? Ok, isso vai ter que esperar. Acho que chegou a hora. Não da mais para fugir, me esconder e viver anestesiada. Poxa não é pecado cansar de sofrer é querer se proteger, assim como é verdade que se privar de sentir não é viver. Eu preciso assumir o controle e começar a viver a minha vida à minha maneira, não será uma batalha fácil, nem sempre eu vou ganhar, irei me machucar, mas cada vitória tudo valerá a pena, tem que valer. Agora é a hora de organizar minhas armas, vestir ou despir minha armadura ainda não decidi, e reunir meu exército. Minha missão é o conquistar o mundo mais precisamente o meu mundo. Hoje meu nome não importa, eu sou apenas mais uma na multidão, mas amanhã você irá ouvir meu nome e não se esquecerá tão cedo... 

Você Pode Gostar Também

2 comentários

  1. Ai que texto lindo!
    Eu me sinto assim muitas vezes também e acho que esse ir à luta é tão importante, mas ao mesmo tempo tão complicado, que dói em alguns momentos.
    Sigamos.

    Um beijo,

    Algumas Observações
    Minhas Literariedades
    Teoria, Prática e Aprendizado

    ResponderExcluir
  2. Uau!!! Direto da alma... tão pessoal porém tão "comum", tão familiar... me identifiquei horrores!
    Amei teu texto!!!

    Um beijo.

    momentosdelucidezenemtanto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.