Nós

terça-feira, junho 18, 2013



Qualquer um que tenha aproximadamente a minha idade (tenho 18), já ouviu alguma vez que nossa geração é estagnada, não luta por seus direitos, não produz música boa, não vai às ruas, enfim, a geração que dá o avatar à tapa. A cara, jamais. Eu ficava incomodada, mas não podia negar os fatos. Fomos criados pra satisfazer preocupações egoístas, ter boa educação, conquistar o sucesso e ganhar dinheiro. E não adianta culpar somente a nossa geração, afinal, não nos criamos sozinhos.
Eu não cursei história. Não sei dizer exatamente como aconteceu, como nós (brasileiros de todas as idades), perdemos a paixão pelo coletivo e pelo bem comum e nos tornamos consumistas, conformistas, fúteis e globalizados. Mas é isso. Não há mentira. Nós estávamos inertes. Conscientes da sujeira e confortáveis com ela, mas aparentemente alguma coisa mudou. Não há necessidade de listar os inúmeros problemas que nos engasgaram, nós já estamos fartos de sabê-los. Evitamos conflitos e engolimos nossos sonhos. O nosso humor se tornou ácido e qualquer um com acesso ao twitter pode constatar isso. Andávamos por aqui, sentindo falta daquilo que nunca vimos, ouvindo as mesmas bandas de décadas atrás, vivendo como nossos pais viveram e reclamando protegidos pelo computador.
Só que alguém teve uma ideia. E como eu queria dar um beijo nesse alguém. Revoluções são assim, como um fósforo em meio ao querosene. Começou em algum lugar, com algumas pessoas e agora todo o país sente que precisa, eu disse PRECISA, ser atuante. Nem sabemos ao certo pelo quê protestamos – afinal, são tantos os sapos que engolimos -, mas estamos na rua. Protestamos por tudo. Talvez seja só pelos 20 centavos, talvez pela PEC 37, talvez pelos gastos públicos, talvez pela corrupção ou, talvez, seja pra afirmar categoricamente que já chega, queremos limpar essa sujeira e que NÃO somos ativos apenas na Internet – e olha só, mãe, não se preocupe, tenha orgulho de mim, tô na rua, quero fazer minha parte.
Repetindo, eu não cursei história, mas ainda posso fazer parte dela. Podemos, mas só se for no plural. Talvez um dia alguém leia sobre nós e sobre como desligamos a TV pra aprender na prática o que é cidadania. É uma possibilidade. Por que não? Eu acho mesmo que já estava na hora.
“...Vejo vir vindo no vento
Cheiro de nova estação...”

Belchior


Twitter: @alexiacristal 

Você Pode Gostar Também

7 comentários

  1. Maravilhoso! Disse tudo o que eu queria e não conseguia. *-*
    Estou muito feliz com o que está acontecendo no nosso país e concordo que não temos um objetivo específico, mas de alguma forma essa manifestação vai valer, mesmo que seja somente um aviso de que estamos insatisfeitos e que se nos unirmos iremos construir uma história diferente para o país.

    Bjs, Yara.
    http://www.ilusoesescritas.com/

    ResponderExcluir
  2. Estou bem orgulhosa do meu pais , com esses protestos , sou totalmente a favor , participarei do que ocorrera aqui na Bahia.
    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Tenho orgulho de ser brasileiro menos da maneira violenta em alguns casos
    http://helpanaemia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Se é pra protestar, vamos ser pacíficos. Não tenho 18 anos, mas ouço essas coisas de que a geração é uma bosta. Futuramente, vamos ter orgulho do que ta acontecendo, finalmente nossa população acordou.
    De: Adolescente Para: Adolescente

    ResponderExcluir
  5. Também sou totalmente a favor dos protestos, menos quando começam com violencia!
    Acho que estamos lutando pelos nossos direitos e isso é totalmente correto!

    Beijoooks
    moda-teensworld.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Eu sou a favor dos protestos mais não dos vandalismos.

    ResponderExcluir
  7. Nossa, o que eu não daria para estar em um desses protestos! Enquanto forem pacíficos terão meu apoio. Tomara que após baixarem as tarifas das passagens os protestos não parem! Aí sim mostraremos que estamos indignados com a situação do país.

    Beijos,
    http://meumundoecolorido.blogspot.com/
    http://caheoslivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.