Consciência

sábado, setembro 22, 2012


Ok, consciência. Eu já sei que eu não deveria ter vindo. Estou de ressaca emocional há semanas e isso nunca é um bom sinal. Mas é que eu lembrei que, apesar da culpa consequente de cada encontro, eu sempre me sinto mais leve quando estou com ele. Ele é tão desprovido de julgamentos que quase esqueço as implicações que um simples beijo dele pode ganhar. Acabei vindo parar aqui, na casa dele, bebendo com ele e conversando sobre os últimos dias.

Conto sobre o que eu passei e as palavras vão se tornando apenas fatos desprovidos de dor à medida que saem da minha boca em direção aos seus ouvidos. É tão fácil conversar com ele. E eu ouço coisas também. Coisas que me fazem ver que não somos tão diferentes quanto eu pensava.  Acho que eu o julguei, no fim das contas, embora me tomasse por uma pessoa liberal.

É libertador ser completamente honesta com alguém. Acho que ele sente isso também. Ou talvez seja só o álcool expulsando verdades. Ele me explica alguma coisa sobre isso, mas confesso que não dou a menor atenção. Quem quer ouvir a respeito dos efeitos do álcool sobre o cérebro humano, quando o próprio cérebro só consegue registrar o movimento dos lábios do atraente palestrante voluntário?

Era óbvio que a conversa iria evoluir. A cama dele tão próxima de nós que é impossível ignorar. Ele fala coisas diferentes e eu tento analisar o efeito que cada palavra tem sobre mim. O estrago foi grande, consciência? Dá pra seguir adiante ou tenho que ir embora?

Você vai me acusar amanhã por nunca ouvir seus comandos. Vai latejar incessantemente o quanto isso é perigoso. Pode ser que a minha percepção esteja completamente afetada pela carência, ou pelo whisky, ou por ambos. Mas eu realmente vou deixar fluir. Me concentrar nos olhos dele, que oscilam do castanho para o verde, toma todo o meu tempo agora. Lido com você amanhã.

Você Pode Gostar Também

5 comentários

  1. Adorei o texto, é seu mesmo?!

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Há momentos que a gente tem que mandar a consciência ir dar uma volta para poder ser feliz. Ela é como se fosse uma outra pessoa dentro da nossa cabeça.
    Gostei do texto. Muito bom.
    Beijos
    http://alonebutnotforever.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Sei lá, né, gente.. Não pra pra ligar o botão de F%¨&(¨%$-se a consciência sempre...

    Ah, gente, só estou sentindo falta dos posts sobre moda e beleza...

    ResponderExcluir
  4. @Dani
    Dani não se preocupe estamos preparando algumas novidades para essas categorias!

    ResponderExcluir
  5. Oi Thais, o texto é meu. Sou colaboradora do blog.
    E obg pelo elogio Júnnia, fico feliz que tenha gostado.
    E Dani, eu entendo sua posição. Eu só vim pra tentar colaborar, mas o blog ainda fala bastante sobre moda e beleza. Tento somar, não quero, de maneira alguma, tirar o espaço de ninguém. Tudo é feito pra agradar vocês. Estou me esforçando. *-*

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.