Caio F. Abreu

sábado, dezembro 11, 2010


Olá, como vcs estão? Espero que muito bem . Hoje vou falar de um escritor , na minha opinião, brilhante : Caio Fernando Abreu.

Ele foi um escritor, dramaturgo e jornalista gaúcho, sendo considerado um fotógrafo da 'fragmentação contemporânea'.A sua escrita é tão pessoal que chega a ser angustiante e eufórica,  falando sobre sexo, o medo da morte e principalmente sobre a sorrateira solidão.
Caio estudou Letras e Artes Cênicas na UFRGS ( Universidade Federal do Rio Grande do Sul), mas desistiu de ambos os cursos e passou a trabalhar como jornalista para revistas como Veja, Nova e Manchete, além de contribuir para jornais tais como Zero Hora e Folha de S. Paulo.

Perseguido em 1968 pelo Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) , este era um orgão criado no Estado Novo (Getúlio Vargas) para reprimir e controlar movimentos sociais e políticos contrários ao regime, este departamento só foi extinto em 1983.Em face da perseguição refugiou-se no sítio de sua amiga e também escritora Hilda Hilst ( por sinal, uma excelente escritora).

No início da década de 70, Caio se exilou por um ano na Europa.Após isso volta ao Brasil e descobre , em 1994, que é portador do vírus HIV.Antes de falecer dois anos mais tarde, Caio passa dedicar-se a jardinagem, cuidando de roseiras.
Possui 21 livros terminados, estando entre eles : Morangos Mofados e Triângulos das Águas.E duas peças de teatro.

Alguns trechos de suas obras :

"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu. "
"Tinha desejos violentos.Pequenas gulas, urgências perigosas, enternecimentos melados, ódios virulentos, tesões insaciáveis. ouvia canções lamentosas, bebia para despertar fantasmas distraídos, relia ou escrevia cartas apaixonadas, transbordantes de rosas e abismos."
"Odeio dois beijinhos, aperto de mão, tumulto, calor, gente burra e quem não sabe mentir direito."
"Algumas vezes eu fiz muito mal para pessoas que me amaram. Não é paranóia não. É verdade. Sou tão talvez neuroticamente individualista que, quando acontece de alguém parecer aos meus olhos uma ameaça a essa individualidade, fico imediatamente cheio de espinhos - e corto relacionamentos com a maior frieza, às vezes firo, sou agressivo e tal. É preciso acabar com esse medo de ser tocado lá no fundo. Ou é preciso que alguém me toque profundamente para acabar com isso."



















Você Pode Gostar Também

4 comentários

  1. nao conhecia, mais estou mega-interressado, beijoo amr
    http://popnewsmusic.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Que Bacana, não conhecia e adorei conhecer sobre o autor, adorei o post! Ficou ótimo e cheio de conteúdo interessante ^^

    Tenha um Ótimo Sábado! Tudo de Bom, Beijão ^^

    @_VitrineFashion
    http://fashion-vitrine.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. não só na sua né fofa? também acho brilhante, se vê que você é apaixonada por livros né?
    sempre falando das histórias, dos escritores, muito bacana, beeeijos =*

    http://landcherrypie.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Olá! Sua opinião é muito importante para nós, fique a vontade para comentar. Obrigada pela visita! Volte sempre.